Cálculo de combustível: como fazer e aprenda reduzir o consumo da frota

calculo de combustivel

Fazer o cálculo do gasto de combustível da frota é apenas uma das formas de reduzir os impactos financeiros para a empresa. Principalmente, em tempos de crise e com as altas constantes no valor do combustível.

Reduzir os custos e aumentar a produtividade deve ser sempre um objetivo da empresa, porque isso gera uma operação logística mais eficiente. Ao monitorar o consumo e fazer as contas, você talvez surpreenda o quanto esse custo impacta nas saídas do seu caixa. 

Neste artigo, vamos mostrar como calcular o consumo de combustível e algumas dicas de como deixar sua frota mais eficiente e, assim, reduzir este custo operacional. 

Como fazer o cálculo de consumo de combustível do veículo?

Um fato é que nenhum veículo roda sem o tanque estar abastecido. Até motoristas menos experientes sabem que a relação entre quilômetros rodados por litro, se torna um critério importante antes de comprar um carro. 

Por isso, quanto menos combustível ele consumir para trafegar, menor será o custo da viagem ou da operação da frota. A seguir, vamos mostrar um exemplo de como calcular o consumo e o valor gasto por km rodado

Cálculo do gasto de combustível 

Primeiramente, para fazer o cálculo do combustível é preciso ter como referência os quilômetros percorridos. Também é válido considerar, a qualidade do combustível que está sendo utilizado. Muita vezes, o barato pode sair mais caro. 

Em alguns casos, pode ser mais vantajoso usar um combustível mais caro, mas que traga um rendimento melhor aos veículos. O cálculo é bem simples, basicamente, você irá levar essas variáveis em conta:

  • Variável (A): a quilometragem quando o tanque estava cheio;
  • Variável (B): quilometragem quando o motorista foi completar o tanque;
  • Variável (C): quantidade de litros para encher o tanque. 

A fórmula a ser aplicada será:

formula gasto de combustivel

O resultado encontrado também é definido pela eficiência do veículo, por exemplo:

Um veículo Gol Volkswagen com o tanque cheio no início da semana saiu para realizar as entregas. No momento da saída, o painel de quilometragem indicava 120 km. Quando o motorista foi completar o tanque no final da semana, o painel mostrava 280 km.

O motorista precisou de 17 litros de gasolina para encher o tanque. 

calculando gasto de combustivel

Este resultado indica que o consumo foi de 9,41km/l, ou seja, para cada litro de gasolina o carro percorre 9,41km.

Uma dica é buscar a média de consumo do veículo para ter um indicativo do desempenho, porque quando esse número é monitorado semanalmente, você pode perceber facilmente oscilações da eficiência.

Em resumo, o que se torna um indicativo que vão desde problemas de mau planejamento de rota até a falta de manutenção da frota. 

Aprenda a calcular o valor gasto por km rodado

O cálculo é bem similar ao tópico anterior, então, veja as variáveis e o que precisa fazer para encontrar o valor gasto por km:

  • Complete o tanque;
  • Registre a quilometragem indicada no painel (D);
  • Utilize o veículo normalmente até ser necessário abastecer;
  • Marque a quilometragem quando for encher o tanque (E);
  • Anote quantos litros foram abastecidos para completar o tanque (F).

É necessário ter em mãos o valor pago pelo combustível, então basta aplicar a fórmula:

formula Valor gasto por km rodado

Vamos retomar ao exemplo anterior, calculando a gasolina a R$ 5,268 o litro, temos o seguinte gasto:

como calcular Valor gasto de combustivel por km rodado

Em resumo, o Gol da Volkswagen está gastando cerca de R$0,55 centavos com gasolina por km rodado. Esse cálculo pode ser útil para estimar quanto o veículo vai utilizar em uma determinada rota. 

Vale ressaltar que a eficiência do carro pode variar conforme as condições do veículo, as ruas a serem percorridas e até o perfil de condução do motorista. Em seguida, vamos explicar o que impacta no aumento do gasto do combustível. 

Gasolina x Álcool: qual combustível compensa mais? 

Existe um cálculo básico para saber com qual combustível é melhor abastecer. Basicamente, quando o preço do álcool é de até 70% o da gasolina, então, o etanol sai mais em conta.

Importante! Isso é apenas um valor aproximado e, por isso, não é uma referência 100% confiável. 

Uma matéria realizada pelo site Notícias Automotivas, apresenta uma série de cálculos individualizados por modelo de carro, para saber qual o limite de preço que faz o álcool ser mais vantajoso. 

O artigo mostra que alguns carros em que a proporção é de até 74% seja mais acessível ( o caso do HB20 1.6 transmissão automática). Em resumo, nem sempre o percentual de 70% deve ser seguido à risca.  

Afinal, como saber qual combustível é mais eficiente?

Você mesmo pode fazer o cálculo. Basta dividir o consumo de etanol pelo da gasolina e diminuir 1% do resultado. Por exemplo: na cidade, um carro apresenta consumo de 8,0 km/l de etanol contra 11 km/l de gasolina. 

gasolina x etanol

Então, nesse caso, 71% é o preço máximo que o etanol pode ter em relação ao da gasolina.

O que faz um veículo consumir mais combustível?

Não se engane, a distância percorrida não é o único fator que faz aumentar o gasto de combustível. Além disso, existem muitos fatores que impactam no desempenho e no bolso quando o assunto é abastecer o carro. 

  • Excesso de carga: o peso impacta na eficiência e aumenta o gasto do combustível. Por isso, os gestores de frota precisam aumentar a atenção na hora de distribuir as mercadorias;
  • Pneus mal calibrados: quando calibrados incorretamente, os pneus levam o veículo a consumir mais combustível;
  • Ar condicionado: aumenta a demanda de combustível pelo automóvel;
  • Modo como dirige: a forma como o motorista dirige, impacta no desempenho. Freadas bruscas e “esticadas”, por exemplo, geram um gasto maior de combustível. 
  • Revisões no veículo: procure sempre fazer o alinhamento e balanceamento na quilometragem, estipulada pela montadora, isso pode ajudar na redução do consumo. 

Dicas para economizar combustível

Como vimos anteriormente, descobrir o consumo de combustível do veículo e tomar medidas preventivas pode ajudar a reduzir esse gasto. Anote essas dicas que irão otimizar, ainda mais, a sua gestão de entregas e coletas. 

Organize as cargas

O excesso de peso impacta diretamente no desempenho do combustível. Na hora de planejar as suas entregas, não esqueça de avaliar a capacidade máxima do veículo. 

Dica: o sistema da Vuupt faz esse cálculo automaticamente, aproveitando a capacidade total do veículo corretamente e ainda faz a distribuição dos serviços entre os motoristas.

Otimize as rotas

A gestão logística parte de um princípio simples: você precisa deslocar até um determinado ponto, para entregar um produto ou realizar um serviço, com o menor tempo possível. 

Como fazer isso? É aí que entra a roteirização para otimizar esse processo!

Um roteirizador vai criar o planejamento das rotas que sua frota irá percorrer, para fazer o deslocamento de forma mais eficiente, reduzindo o tempo, a distância e os custos operacionais.

A roteirização vai além de planejar uma rota, ela vai indicar os melhores caminhos a serem percorridos, distribuir de forma inteligente suas cargas nos veículos, calcular prazo de entrega determinado pelo cliente e muitas outras funcionalidades. 

O que ajuda a reduzir os gastos com combustível e ainda aumentar a eficiência da operação.

Quer aprender mais sobre roteirização? Baixe agora o nosso ebook “Roteirização: a solução para otimizar suas entregas e coletas”.

Cuidados ao conduzir o veículo 

Em alguns casos, o que faz com que o veículo consuma mais não são fatores externos, mas o comportamento do motorista ao volante. 

Um exemplo, quando o condutor pisa demais no acelerador e estica todas as marchas até o limite. Isso aponta que ele estará andando em alta velocidade, o que o levará frear bruscamente, o que acarreta em um consumo maior. 

Da mesma forma que acelerar de forma repentina e intensa, também leva o veículo a aumentar o gasto de combustível. 

Outro hábito comum é dirigir no famoso “ponto morto”, essa é uma forma tentadora e confortável de deixar o carro andar, porém, esse costume é perigoso. 

Primeiro, que o freio motor fica inativo e a maioria dos veículos possuem injeção eletrônica, que, no ponto morto, faz com que a demanda do combustível aumente.

Atenção a manutenção do veículo

Mantenha em dia as vistorias periódicas, a prevenção ajuda detectar problemas e prevenir  manutenções mais caras.

Outro ponto importante, não esqueça de calibrar os pneus na pressão correta, garantindo uma rodagem melhor,  reduzindo a demanda do combustível. Alinhar e balancear também é fundamental para o desempenho.

Conclusão 

Como vimos ao longo do texto, o cálculo de combustível é muito importante para gerir bem uma frota. Não apenas por representar um gasto alto, mas por sinalizar problemas maiores com os veículos.

O gestor deve sempre estar atento aos detalhes. O consumo acima da média de combustível é uma alerta para problemas de manutenção, rotas ineficientes ou motoristas com má condução. 

Ainda tem dúvidas? Deixe sua pergunta nos comentários. 

 

 

Ebook: 08 dicas para otimizar a sua gestão de entregas

ebook gestão de entregas

Há algum tempo, os serviços de entrega vem se tornando mais usuais no comportamento do brasileiro. Com a pandemia e as novas regras de isolamento social, a solicitação por atendimento em domicílio vem crescendo cada vez mais. 

O que não é difícil compreender, a comodidade proporcionada ao cliente, que pode receber um serviço ou produto diretamente na sua casa e sem a necessidade de se deslocar.

Toda empresa que presta serviço em casa ou trabalha com entrega, sabe a complexidade que é garantir uma operação fluida. São muitos processos, pessoas e equipamentos envolvidos na atividade. Por isso, esse se torna um dos mercados mais competitivos. 

Para se destacar no setor é importante se atentar a esses pontos e buscar melhorias constantes. Manter um serviço de qualidade, enquanto busca produtividade, eficiência e redução de custos é um grande desafio. 

Seja do segmento alimentício, varejo, saúde e beleza, a prestação de serviços traz algumas objeções e as empresas precisam se adaptar a esse modelo. 

Para uma entrega acontecer, existe uma série de etapas que precisam ser realizadas com bastante organização, para que assim, a prestação de serviço seja rápida e eficiente. Pensando nisso, criamos este ebook de gestão de entregas com 08 dicas para ajudar a melhorar a sua operação logística. Veja um pouco do que irá aprender:

📦 Crie um atendimento eficiente

Um dos principais motivos de insatisfação está ligado com a falta de alinhamento de expectativas. Ter uma comunicação clara e uma equipe treinada será um grande diferencial para o cliente criar confiança na sua empresa.

📦 Planeje suas entregas com antecedência

Veja como é possível organizar suas rotas, calcular a capacidade de entrega, distribuir entre os motoristas e ainda atender os clientes dentro do prazo. E o melhor, reduzindo os custos e aumentando a eficiência operacional. 

📦 Garanta a eficiência durante a execução do serviço

O pedido foi realizado, mas você tem controle da execução? Saber a evolução das entregas em tempo real, lidar com contratempos e alinhar as expectativas dos clientes com o prazo. Tudo isso é possível de acontecer e ainda otimizando o seu processo de entregas. 

📦 Aumente a satisfação dos clientes

Entregar um produto ou um serviço não é mais suficiente para os clientes, a cada dia eles desejam experiências de compras completas. Estar atento às críticas e sugestões é um bom caminho para aprimorar os seus serviços.

📦 Monitore os resultados

O trabalho não acaba quando a entrega ou serviço foi finalizado. Ter números da sua operação é fundamental para melhorar processos e torná-los em diferenciais competitivos.

Se você entende a importância de oferecer um bom serviço, aliado a produtividade e o aumento da satisfação dos seus clientes, este ebook de gestão de entregas foi feito para você!

Clique aqui e baixe agora o ebook!

Logística no varejo: conheça algumas modalidades de entrega

logistica no varejo

A logística no varejo brasileiro enfrenta diversos desafios, não apenas pela dificuldade de mobilidade – como vias precárias – mas, também pelo alto custo do transporte e impostos que encarecem, ainda mais, a operação. 

Prova disso, é que a última milha é considerada uma das mais caras da logística, chegando a comprometer até 53% do custo total de envio do produto. 

O ponto positivo é que as empresas estão buscando novas alternativas que sejam financeiramente viáveis e atendam às expectativas dos clientes.

A seguir, vamos falar um pouco mais sobre como o comportamento do consumidor impactou nessas mudanças e como a logística no varejo se adaptou às novas modalidades de entrega.

O consumidor x evolução dos pontos de venda

É fato que a pandemia do Covid-19, acelerou as mudanças no comportamento de compra, mas esse movimento vem acontecendo há alguns anos. 

As expectativas dos clientes estão mudando tão rápido, que em alguns momentos, ultrapassam os serviços e tecnologias disponíveis no varejo. 

Os consumidores não querem mais se preocupar com más experiências de pagamento, prazos de entregas e altos custos, benefícios que não sejam do seu interesse. Eles querem apenas focar no produto ou no serviço – e desejam isso imediatamente.

Vamos pensar em uma compra convencional de supermercado, isso é um pouco trabalhoso na prática…

Você precisa selecionar os produtos, comparar preços, colocar no carrinho, registrá-los no caixa, empacotá-los, colocá-los e retirá-los do meio de transporte e, finalmente, organizá-los em casa. 

Ademais, algumas alternativas estão surgindo para facilitar esse processo. O reflexo disso são mudanças nos pontos de venda físicos, tais como: pedidos online combinados com retirada na loja, sistemas de drive-thru, pagamentos móveis com tecnologias do tipo scan & go

Esse uso simultâneo e interligado entre o mundo offline e online está cada vez mais comum, oferecendo uma melhor experiência de compra ao consumidor. 

Logística no varejo: conheça algumas modalidades de entregas 

Os clientes que fazem transações online desejam uma compra eficiente, além de uma entrega rápida, gratuita ou então a custos baixos.

Desse modo, a logística já não é mais um problema de bastidores, mas um item fundamental quando falamos das experiências com relação ao serviço oferecido. 

De alguns anos para cá, o last mile – a última milha – vem sendo disputado por inúmeras possibilidades que o varejo tem de fazer com que seu produto chegue ao cliente final num menor espaço de tempo e com um custo mais baixo. Por isso, software de roteirização e gestão de entregas são cada vez mais implantados nas operações logísticas.

Tradicionalmente, as entregas são mais comuns por transportadoras e pelos Correios. Entretanto, as empresas precisavam se reinventar e buscar outras alternativas para atender às expectativas dos clientes e diminuir os custos para organização. 

Conheça alguns tipos de entregas que vem contribuindo para agilizar esta operação no varejo.

Ship from store 

O ship from store (SFS) é uma inovação do comércio varejista para proporcionar uma experiência mais ágil aos seus clientes. Basicamente, trata-se de um processo de atendimento, pelo qual a empresa usa o estoque da loja física para atender pedidos realizados em algum canal virtual. 

O SFS está bastante relacionado ao conceito de logística omnichannel, oferecendo ao consumidor uma experiência integrada dos diferentes tipos de canais de comunicação. Além de trazer mais agilidade no recebimento dos pedidos e a possibilidade de frete grátis. 

Neste modelo, o estoque das lojas é transformado em verdadeiros centros de distribuição e as vantagens vão além da satisfação do cliente, como o aumento dos pontos de vendas que passam a ser online e offline.  

Same day delivery

Essa modalidade de entrega permite que o cliente realize uma compra online e receba o produto no mesmo dia. 

As vantagens do same day delivery são bastante benéficas para o consumidor, visto que integra a possibilidade de escolha, preço atrativo e entrega rápida na comodidade de seu lar. 

Na internet, esse método de entrega impacta em um maior número de clientes satisfeitos, principalmente, aqueles que fazem compras com urgência.  

Alguns marketplaces brasileiros já utilizam essa forma de serviços, como a Magazine Luiza e as Lojas Americanas

Entrega expressa

Este tipo de entrega é uma forma mais rápida proporcionada pelo o e-commerce. Nessa modalidade de envio, um produto pode ser entregue até no mesmo dia da sua solicitação, após a confirmação do pagamento.

Quando a compra é aprovada, o pedido tem prioridade e é separado no estoque para embalagem e o envio acontece o mais rápido possível. Assim, o produto é direcionado para transportadora especializada em entregas expressas. 

Vale ressaltar que esse tipo de entrega depende da distância entre o centro de distribuição e a localidade a qual a mercadoria se destina, além da disponibilidade no estoque.

Click and collect

Click and collect é uma expressão em inglês que se refere a pontos de retirada. Essa logística é bem utilizada por grandes players do varejo no exterior. 

Uma pesquisa feita sobre o consumo no varejo na Europa realizada pela Forrester, uma das mais influentes empresas de pesquisa no mundo, mostrou que 54% dos consumidores europeus dizem usar o click and collect com frequência. Nos Estados Unidos, quase 20% utilizam esse serviço, segundo a Accenture. 

Basicamente, o click and collect funciona de forma bem simples. O cliente escolhe o produto no site da loja, realiza toda operação de forma digital (pedido, pagamento, etc), mas não precisa pagar mais caro para receber a mercadoria em casa. 

Antes de fechar o pedido, o consumidor tem a opção de escolher o local para retirar sua compra. Ou seja, o prazo de entrega fica mais curto, pois o fornecedor envia para o ponto de retirada e você retira o produto, também trazendo mais flexibilidade. 

Lockers

Lockers são armários inteligentes que podem ser acessados somente por senha ou através de comandos. Eles servem para a retirada de mercadorias com segurança e comodidade. 

O cliente adquire um produto, seja via internet ou pelo televendas, e para sua retirada vai até o ponto indicado pelo fornecedor,  onde o armário está localizado. 

Através de um código, ou outra tecnologia, faz o acesso a determinada parte do armário e retira o seu pedido.

Tudo isso, ocorre sem o contato com funcionários do estabelecimento e sem riscos de atrasos ou avarias por conta de transportadoras terceirizadas.

Quais os benefícios ao adotar diferentes modalidades de entrega?

A principal vantagem em oferecer mais de um tipo de entrega é dar ao cliente opções. Isso será mais um incentivo para efetuar a compra com sua empresa, além de poder virar um diferencial competitivo perante os concorrentes. 

Mais um benefício é o fortalecimento das relações com os fornecedores. Para que os prazos sejam cumpridos é necessário um alto comprometimento dos distribuidores quanto das transportadoras, as empresas trabalham em um objetivo comum, sequenciando suas etapas de modo eficiente. 

Por outro lado, é importante lembrar que não adianta apenas diversificar o tipo de entrega, mas é preciso organizar para que isso aconteça. Em resumo, avaliar a estrutura do negócio, investir em tecnologias, planejar a distribuição e alinhar a operação. Tudo isso é fundamental para iniciar diferentes modalidades na logística do seu varejo. 

Quer otimizar suas rotas de entrega? Baixe agora, gratuitamente, o nosso ebook sobre roteirização. 

Indicadores logísticos: como montar o dashboard na sua empresa

indicadores logisticos

Entender quais são os processos ineficientes e os pontos de melhoria é fundamental para a realização de uma boa gestão e, por isso, os indicadores logísticos são grandes aliados de uma boa estratégia.

Criar um dashboard – ou painel de indicadores de desempenho – é o primeiro passo para ajudar a concentrar as informações. Essa ferramenta é essencial para que a tomada de decisão seja feita com mais clareza e visem resultados mais assertivos. 

O que é preciso para montar um painel de indicadores? 

Reunimos o que você precisa saber sobre indicadores logísticos e como montar o seu dashboard. Confira!  

O que são indicadores logísticos?

Antes de aprender como montar o seu dashboard é preciso saber o que é um indicador logístico. 

O indicador-chave de desempenho é também conhecido como KPI ( Key Performance Indicator) ele é uma ferramenta de gestão usada para medir se uma ação está efetivamente atendendo os objetivos propostos pela empresa

Um indicador pode ser um número ou percentual, que são acompanhados por meio de planilhas (manualmente) como por softwares (automaticamente). Existem diversos KPIs logísticos para monitorar, esses são alguns dos mais usuais;

  • Serviços de entrega;
  • Ciclo do pedido;
  • Número de ocorrências;
  • Nível de estoque;
  • Custos logísticos.

Cabe a cada empresa escolher o melhor para a sua estratégia. Enquanto para uma, o objetivo principal é a redução nos custos do combustível, para outra, o interessante pode ser reduzir o tempo de entrega. 

Leia mais: KPIs logísticos: 5 indicadores de desempenho para sua gestão.

O que é um painel de indicador?

Para entender o conceito de dashboard, pense em um painel de carro. Nele, você consegue ter uma visão completa do que está acontecendo no veículo, certo?

Nível de combustível, velocidade, temperatura, quilometragem e tantas outras informações são apontados no visor do veículo quando necessário. 

Um painel de indicadores de desempenho cumpre uma função similar, mas em uma perspectiva maior, levando em consideração dados sobre os processos e o negócio como um todo. 

O dashboard reúne diversas informações de forma mais visual, com gráficos e números, facilitando a compreensão dos dados gerados. Em apenas um só lugar é possível obter informações valiosas sobre a performance do seu negócio, setores e processos. 

O que ajuda os gestores a não perder tempo criando inúmeros relatórios e ainda consegue mensurar se as ações da empresa estão alcançando os resultados previstos.

As vantagens em utilizar um dashboard

Ter informações é muito importante, mas saber usá-las irá oferecer uma competitividade no mercado para sua empresa. 

O painel de indicadores é uma grande coleta dos variados dados do seu negócio, desde informações mais simples até mais expressivas. 

Com isso, o gestor consegue ter uma visão mais ampla sobre o negócio, podendo direcionar recursos para processos deficitários ou elaborando novas estratégias.

Em suma, o dashboard é capaz de otimizar os processos da empresa, evitando o desperdício de tempo e recursos e mantendo alerta para atividades prioritárias. Assim, é possível criar estratégias mais assertivas e coerentes com o momento atual da empresa. 

Se você tem uma queda de performance no número de entregas, o dashboard irá conseguir indicar com precisão o que aconteceu. Analisar os indicadores logísticos é fundamental para resolver problemas e evitar que aconteçam novamente. 

Veja algumas dos benefícios em adotar um dashboard:

  • Dados mais confiáveis e atualizados constantemente;
  • Ter uma visão holística do seu negócio;
  • Fornecer informações sobre as áreas e os processos;
  • Visualizar problemas e queda de resultados de forma mais ágil;
  • Ajudar na tomada de decisões
  • Maior controle sobre a operação.

Leia mais: Gestão de entregas: 6 vantagens em adotar um software logístico

Dicas para criar o seu painel de indicadores

indicador logístico como criar um dashboard

Para ter um painel de indicadores logísticos eficiente e visual, é necessário se atentar para algumas informações. 

O primeiro passo é entender mais sobre o seu negócio e compreender como tudo funciona para começar a mensurar do zero. Isso porque você precisa criar uma base, para ter uma referência se um número pode ser bom ou ruim.

A segunda etapa é definir um objetivo, para que você está criando o painel e qual a sua finalidade. Responder a essas questões, vai deixar bem claro o objetivo do seu dashboard. 

Qual o tipo de dashboard escolher?

Tudo vai depender da sua necessidade e o que quer monitorar, no caso da gestão de entregas e coletas, os painéis de indicadores logísticos podem ser de diferentes tipos.

Estratégico: são os planos e objetivos da empresa a longo prazo. Tudo que precisa ser monitorado com intuito estratégico. 

Operacional: auxilia na identificação e correção de falhas no processo como atrasos na entrega, falhas na entrega, mau aproveitamento da frota, dentre outros.

Tático: a nível de setores, é o momento que define meios para alcançar os objetivos traçados no âmbito estratégico.

Cuidado com o excesso de informações!

Selecione bem as informações que irão aparecer no seu dashboard, o excesso de dados pode atrapalhar na leitura e não trazer nenhum benefício. 

Avalie quais os dados que você tem disponível, o que é relevante para ser acompanhado com mais atenção e com uma frequência maior, e o que é descartável.

Evite informações repetidas ou muito semelhantes, tente diversificar o seu painel de indicadores, deixando ele mais simples e didático.

O visual também é importante!

Quando falamos para deixar seu dashboard mais atraente, não significa colorir ou colocar muitas imagens sem critério. 

Lembre-se que você trabalhará com esse painel de indicador de performance diariamente, por isso, ele não pode ser cansativo e cheio de informações. 

Trabalhe com cores, mas de forma lógica. Por exemplo, se for adicionar uma cor para um gráfico crie parâmetros, como: coluna verde para resultados positivos e coluna vermelha para números negativos.  

Isso vai ajudar a chamar atenção para distinguir duas informações e ainda levar uma interpretação mais rápida. 

Automatize os seus indicadores logísticos

Tem como criar painéis de forma manual, porém sistemas ajudam no controle e na organização dos seus indicadores. 

A plataforma da Vuupt, por exemplo, oferece muitos benefícios para a gestão de entregas e coletas. 

Com o nosso software é possível ter um controle melhor das suas entregas, monitorar em tempo real o deslocamento da frota, ver o tempo gasto para cada entrega, metrificar o tempo de parada de um motorista, avaliações dos clientes, além de traçar rotas mais otimizadas

E o mais importante, as informações são geradas pelo sistema, o que garante uma alta confiabilidade dos dados. Em poucos cliques, você pode acompanhar todos os indicadores da sua operação logística. 

Como criar um painel de indicadores manual? Veja algumas dicas. 

Como você viu, um sistema traz segurança dos dados e praticidade, facilitando o agrupamento e a leitura das informações. Porém, é possível fazer um dashboard usando programas como o Excel. 

Em um dashboard da área logística, você pode incluir informações como prazo de entrega, controle de estoque, custos com combustível, número de vendas, entre outros. 

Organize as informações

Basicamente, você vai precisar de duas abas para criar a sua base de dados. Uma para inserir todas as informações que deseja e a segunda cumprirá a função de dashboard. 

Monte tabelas

Monte tabelas dinâmicas para encontrar com mais facilidade as informações. 

Para isso, vá em inserir, localizado no canto superior esquerdo da planilha, e escolha a opção “tabela dinâmica”. 

Com essa funcionalidade, é possível escolher os dados que você deseja incluir, separando por categorias e objetivos.

Crie gráficos

Vá até a aba base de dados e clique em inserir, depois escolha uma opção de gráfico dinâmico, localizada no canto superior direito.

Existem diversos modelos de gráficos, escolha o que mais se adapte a sua demanda. Você pode criar um gráfico sobre a média de entregas por mês em um gráfico de colunas. 

Hora de montar o dashboard

Sabe aquela aba que separou para o dashboard? Então, agora é a hora de voltar nela e copiar esses gráficos que você criou.

Assim, você começa a se organizar de forma mais visual. Mescle cores, invista nas fontes e use a criatividade para deixar tudo mais apresentável e dinâmico. 

Gostou do conteúdo? Deixe suas sugestões ou dúvidas nos comentários. 

Tudo sobre logística omnichannel: o que é e como aplicar na sua empresa

Logistica Omnichannel

Logística Omnichannel é uma estratégia de uso simultâneo e interligado de diferentes canais de comunicação, com o objetivo de estreitar a relação entre online e offline, criando diferentes pontos de contato entre a marca e o cliente. 

Quem acompanha o mercado, sabe que o omnichannel é uma tendência aplicada em diversos segmentos. Essa estratégia de convergir as ações feitas por uma empresa em todos seus canais, traz algumas vantagens como clientes mais satisfeitos e aumento do retorno sobre o investimento (ROI). 

O consumidor atual usa diversos meios para se relacionar com uma empresa, seja pela sua loja física, aplicativo, redes sociais ou site. O que ele mais deseja é agilidade para receber os produtos e serviços adquiridos, além de um atendimento de qualidade. 

Adianto que a estratégia omnichannel é tanto uma inovação quanto uma resposta a demanda dos clientes por uma experiência de compra melhor, mais completa e com menos barreiras entre o meio online e o offline.

Isso possibilitou adquirir um produto na loja física e recebê-lo em casa. Ou comprar pela internet e retirar na loja. É perceptível que em termos de logística, isso representa um grande desafio, certo?

Neste post você vai aprender o conceito de omnichannel e entender os motivos que levaram esse termo a ficar conhecido e bastante utilizado atualmente. 

E para começarmos a falar sobre o assunto, vamos entender o seu significado.

O que é omnichannel?

“Omni” é uma palavra em latim que significa “tudo” e “channel” é do inglês que pode ser traduzida para português como canal. Em resumo, o significado mais próximo seria algo entendido como “todos os canais”.

Com essa unificação dos meios de comunicação, o cliente será capaz de realizar uma compra ou atendimento por meio da plataforma que for mais conveniente como: 

  • Redes sociais;
  • Site;
  • WhatsApp ou chatbot;
  • Loja física;
  • Loja virtual;
  • Call center e mais.

O omnichannel, além de reunir diversos canais pertinentes a uma marca e a sua estratégia, se preocupa em oferecer uma experiência de consumo integrada. Desde a identidade visual ao pós-venda, o cliente precisa sentir que está falando com a mesma organização, tanto no online quanto offline. 

Isso não inclui somente a comunicação, mas a empresa precisa manter a política de fretes, preço, banco de dados compartilhados, atendimento com linguagem similar, dentre outros. 

Apesar da proposta ser uma unidade de comunicação, uma estratégia omnichannel se preocupa em entender o cliente e personalizar a experiência do usuário em cada um desses pontos de contato. 

Em resumo, não se trata de uma comunicação distribuída em todas as plataformas, mas conta com ações como: a segmentação do cliente, sua qualificação e entendimento da sua jornada de compra. 

Essa combinação permite oferecer uma experiência melhor para o consumidor e alcançar novos resultados para a empresa que investe nessa estratégia. 

A logística omnichannel

Uma logística omnichannel consiste em entregar com mais rapidez e qualidade os produtos/serviços adquiridos pelos consumidores nos variados canais de comunicação. Essa estratégia permitiu novas abordagens de venda e inclui algumas novas possibilidades logísticas como:

  • Comprar um produto pela loja virtual e retirar na loja física mais próxima;
  • Comprar um produto pelo site e, em caso de insatisfação ou defeito, fazer a troca ou devolvê-lo na loja fisíca;
  • Querer fazer uma compra específica, pesquisar na internet e descobrir uma loja física para concluir a compra. 

Para isso acontecer, é preciso garantir que a gestão das lojas físicas e virtuais aconteça em conjunto. A cadeia de suprimentos deve ser centralizada para garantir agilidade na distribuição das mercadorias. A gestão de entregas deve ser eficiente, para que não haja atrasos no recebimento dos produtos na casa do cliente ou no ponto de retirada. 

Outro questão importante é a logística reversa, para o recolhimento ou devolução de produtos, mostrando comprometimento com o cliente e uma boa prestação de serviços, além dos custos operacionais. 

Quais são os benefícios da estratégia omnichannel

A primeira coisa que você precisa entender é que o cliente passou a ser omnichannel. Ou seja, ele está presente em todos os canais e, principalmente, ele não percebe a diferença de estar em um ou outro.

Uma pesquisa feita pela Harvard Business Review, mostrou que 73% dos consumidores usavam diversos canais para se relacionar com varejistas de diferentes segmentos. 

O estudo ainda descobriu que clientes que usaram mais de quatro canais disponibilizados pela empresa gastaram 9% a mais na loja em comparação com quem usa apenas a plataforma de compra (física ou online).

Essas informações nos dizem muito sobre esta estratégia, experiências personalizadas e diversificação dos pontos de contato, podem gerar mais vendas e até aumento do ticket médio por cliente. 

Além disso, quanto mais canais os clientes usam, mais valiosos eles são para o negócio. Isso porque ajuda a entender melhor o seu comportamento pela integração dos dados, permitindo a criação de novas estratégias de negócio. 

Desafios da logística omnichannel

como fazer logística omnichannel

Sem dúvidas, um dos maiores desafios é saber implantar a estratégia de omnichannel de maneira efetiva. Ou seja, integrar todos os canais de venda da empresa de forma com que os seus processos de armazenamento, logística, distribuição, entrega, comercial e atendimento estejam alinhados constantemente. 

Para manter a sintonia entre os setores, é necessário um planejamento estratégico e uma boa gestão, além de investimentos em tecnologias. No entanto, a longo prazo, esse investimento inicial pode aumentar o seu faturamento. 

Veja alguns dos principais desafios logísticos na estratégia omnichannel.

Integração dos processos

Uma boa logística omnichannel consiste na integração de alguns processos e operações, entre elas:

  • Fornecedores;
  • Estoque;
  • Faturamento;
  • Frota;
  • Gestão de entregas.

Um software no estilo ERP, também conhecido como Sistema Integrado de Gestão Empresarial pode ajudar, já que reúne dados de toda empresa em apenas um lugar. 

Assim, tudo sobre vendas, estoque, financeiro ou outras áreas do negócio podem compartilhar facilmente os dados entre si, um sistema que vai garantir mais agilidade e transparência das informações. 

Controle de estoque

Se a sua loja mostra que o produto está disponível enquanto ele não está, pode ser um grande problema. Além de perder a venda, você pode perder a credibilidade com o cliente e atrair avaliações negativas. Por isso, se o produto esgotou, ele precisa ser retirado imediatamente do registro de itens. 

E como resolver isto? Acompanhando o seu estoque em tempo real. 

Soluções tecnológicas como os conhecidos WMS (Warehouse Management System, traduzindo para o português, sistema de gerenciamento de armazém), ele controla processos de expedição, inventário e faturamento, auxiliando no controle do estoque.

Gestão das entregas

Entregar os produtos dentro do prazo é um dos grandes desafios da logística atual. 

Pensando na estratégia omnichannel, existem diversos canais de venda ao mesmo tempo e para funcionar efetivamente a distribuição das mercadorias, a logística da cadeia de suprimentos até a entrega da mercadoria no destino final, deve ser totalmente eficiente. 

Novamente, a tecnologia é uma grande aliada neste processo. Hoje, no mercado existem diversas empresas que prestam serviços de entrega. 

Uma delas é a Vuupt, somos especialistas na entrega da última milha logística, que refere-se à etapa final da entrega do produto, partindo de um centro de distribuição até o destinatário final. 

Saiba mais sobre gestão de entregas da última milha. 

Trocas e devoluções

Com o crescimento do e-commerce, as empresas precisam adaptar suas estratégias de venda e sua operação logística. A troca e devolução também acontecem no meio online. 

Neste cenário, a logística reversa entra em ação, ela se refere a diversos procedimentos associados à devolução de um produto, que precisa ser ágil e com baixo custo.

Como no omnichannel, os pedidos de troca podem acontecer em diversos canais. Por isso, se torna mais um desafio para quem adota a estratégia, garantir que o cliente tenha uma boa experiência.

Além disso, é preciso atentar aos custos de “uma nova entrega”, sem comprometer tanto o faturamento da empresa. Assim, é importante ter uma estratégia e gestão da roteirização da logística reversa bem elaborada, para minimizar os custos no operacional. 

Como aplicar a logística omnichannel na sua empresa

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre o assunto, vamos apresentar algumas dicas importantes para implementar na sua empresa. 

Estruturar uma estratégia de logística omnichannel exige que a empresa analise o seu cenário e as possibilidades do que pode oferecer ao mercado. Por que isso é importante?

Imagina que você crie múltiplos canais de atendimento, mas não possui uma equipe que consiga gerir todos eles, o que vai acontecer?  

Inúmeras reclamações, clientes frustrados e uma imagem negativa da sua marca, isso temos certeza que você não quer, certo?

Bom, anote o primeiro passo para criar a sua estratégia!

Reúna seu time para criar a estratégia

Considerando que omnichannel utiliza diversos canais e isso permeia operações de diferentes setores, faça uma reunião com o seu time de marketing, vendas, logística, atendimento e comercial. 

Veja o que cada setor pode acrescentar e construir para esta estratégia. Não esqueça de incluir o seu cliente, afinal, ele é quem demanda a presença pelos canais e pode ser uma boa fonte de ideias. 

Lembrando que não basta estar nos canais, é preciso criar estratégias de como usar cada plataforma. Para isso, você vai precisar entender quem é o seu cliente e o que pode interessar ele em relação ao seu aplicativo, site ou redes sociais. 

Defina quais serviços pode oferecer

É importante pensar no que pode fazer para ter uma logística omnichannel e como ela irá funcionar. Você pode ter loja virtual, retirada na loja, entregas e trocas?

Todos esses processos envolvem custos e operações diferentes, assim é importante ter isso mapeado para desenvolver uma estratégia assertiva. 

Treine constantemente sua equipe

A implantação de um novo processo e até uma cultura de trabalho, pode ser complicada e precisa estar constantemente sendo acompanhada. Por isso, treine a equipe e padronize o seu atendimento, isso ajudará a unificar a sua comunicação e fazer com que o time trabalhe sempre para alcançar a melhor experiência para o cliente. 

Monte uma base de conhecimento estruturada

Para sua equipe interna, aposte em softwares para integrar o atendimento ao cliente e obter informações sobre os seus produtos e serviços. Quando for realizar um atendimento, ele já terá em mãos, informações valiosas para atender e até realizar uma abordagem de vendas. 

Invista e crie uma base de conhecimento nos seus canais de comunicação, assim o cliente pode tirar dúvidas sempre que quiser, além de deixar o seu processo mais transparente. 

Não se esqueça de monitorar! 

Com a estratégia implantada, é fundamental saber se ela realmente está funcionando para que seja sempre otimizada ou faça ajustes quando necessário. Por isso, crie indicadores de qualidade para garantir que as plataformas omnichannel estão realmente em sincronia e, principalmente, atendendo às demandas dos clientes. 

Exemplos de algumas empresas omnichannel 

Agora que falamos tudo sobre omnichannel, você deve estar se perguntando quais empresas aplicam essa estratégia ao seu negócio. A seguir, separamos dois exemplos de marcas que investem nesse modelo.

Magazine Luiza

A Magazine Luiza hoje é um dos maiores marketplaces do Brasil. Desde 2015, ela vem investindo em ações de atendimento, marketing e vendas omnichannel, integrando o mundo online e offline, além de criar campanhas em todos os seus canais.

Alguns exemplos de ações realizadas:

  • Sistema BOPIS, pelo qual um cliente pode comprar na loja virtual e retira o produto na loja;
  • Aplicativo que permite a compra de produtos diretamente pelo sistema e a consulta de lojas próximas e produtos que estão em estoque;
  • Tecnologia nas lojas físicas como totens;
  • E-commerce;
  • Atendimento em redes sociais diversas como Tik Tok, Youtube e Twitter;
Starbucks

A Starbucks é a maior rede de cafeteria do mundo, uma empresa que estruturou muito bem sua estratégia de omnichannel para oferecer uma experiência completa e diferenciada aos seus clientes. 

Uma dessas ações é o seu cartão fidelidade, você recebe um gratuitamente e que pode ser usado sempre que fizer uma compra em uma de suas lojas. Mas além de ganhar prêmios, o cliente pode recarregar seu cartão com créditos para usar em qualquer estabelecimento. Essa recarga pode ser realizada nos seguintes canais:

  • Por telefone;
  • Site;
  • Loja fisíca;
  • Aplicativo.

Assim, o cliente agiliza o seu atendimento e ainda se fideliza com a marca. 

Conclusão

Neste artigo, você pode compreender melhor o conceito de logística omnichannel e quais são os seus benefícios. Também viu como a estratégia pode ser benéfica para a sua empresa e alguns diferenciais competitivos que irá proporcionar. 

Investir na logística omnichannel pode ser um um grande desafio e exige uma atenção maior com o negócio. No entanto, estar atento às necessidades do cliente e atendê-las, além de acompanhar a evolução do mercado, deve ser o ponto mais importante para qualquer empresa. 

As empresas que adotam esse tipo de estratégia conseguem proporcionar maior autonomia para o cliente, entregam um serviço de qualidade, aumentam suas vendas e se posicionam como uma empresa inovadora no mercado. 

Para conquistar todos esses benefícios, vimos que a tecnologia é fundamental. Nesse sentido, o sistema da Vuupt pode ajudar, proporcionando uma gestão de entregas e coletas eficiente e o monitoramento da logística em tempo real. Você terá acesso a uma série de ferramentas completas para auxiliar sua operação logística da última milha.

Clique aqui e fale agora com um dos nossos especialistas!

 

Delivery: o que é o serviço e as mudanças do mercado

delivery

O serviço de delivery pode até não parecer nenhuma novidade, mas é certo que ele vem se modificando e aperfeiçoando ao longo dos anos. 

Não precisamos voltar muito no tempo para lembrar disso! 

Há alguns anos atrás, a geração do delivery foi representada pela pizza – muito pedida por telefone – e esta modalidade de serviço, fez com que muitas lanchonetes implantasse o delivery. 

Um pouco mais recente, conhecemos diversos aplicativos para entrega de comida. E no momento em que vivemos, conseguimos utilizar aplicativos super versáteis e completos, que entregam desde a comida até a compra de supermercado.   

 O crescimento dessa modalidade já é um fato constatado, a seguir vamos mostrar alguns dados do mercado e um pouco sobre o seu funcionamento.

Vamos lá?

O “novo” mercado brasileiro x serviço de delivery

É fato que a pandemia deu um “boom” para o crescimento do setor. Com grande parte do comércio fechado, os empresários não tiveram alternativas e se adaptaram ao delivery, fazendo a procura por esse tipo de serviço aumentar.

Segundo informações da Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, que analisou mais de 160 mil usuários. As pesquisas indicaram que em abril de 2019, houve um crescimento de 60,67% comparado a março do mesmo ano (início da pandemia).

E os números seguem reforçando esse comportamento, uma pesquisa nacional encomendada pela VR Benefícios ao Instituto Locomotiva, mostra que 81% dos estabelecimentos comerciais do Brasil passaram a fazer delivery durante a pandemia e vão manter. Antes, somente 49% dos restaurantes, lanchonetes, padarias e mercados faziam entregas em domicílio.

Não foi apenas o modo de servir que mudou, os estabelecimentos definiram novos canais e vendas. Ainda na pesquisa da VR Benefícios, cerca de 71% dos comerciantes afirmam que o telefone foi mais adotado. Seguido pelo Whatsapp (63%), o e-commerce próprio (51%), as vendas online (42%) e os aplicativos de entrega (39%).

A pandemia acelerou também, a implementação de meios de pagamento sem contato, os que já usavam intensificaram no período, e os que adotaram somaram 65% da modalidade. Já as formas mais utilizadas são aproximação de celular (83%), QR Code (69%), aplicativos no celular, como Google Pay ou Apple Pay (32%) e envio de link por pagamento (18%).

Afinal, como funciona um delivery?

Delivery é uma palavra originária do inglês e sua tradução significa entrega, o que é basicamente o conceito do seu serviço: entrega de um produto onde o cliente solicita

O que pode parecer muito simples quando a comida chega a nossa casa, a verdade é que por trás disso, existe um serviço bastante exigente. 

Após o cliente escolher o restaurante e fazer o pedido, o local se encarrega de prepará-lo e entregar na porta da sua casa. Por isso, é essencial que a empresa esteja muito bem preparada com sua gestão de entregas

A organização e comunicação são palavras chaves desse processo. Pense um pouco sobre como funciona essa logística…

como funciona o delivery de comida
O restaurante precisa de alguém que monitore os pedidos que são repassados à cozinha. A cozinha tem um tempo limite para preparar. 

O produto tem que ser embrulhado em uma embalagem especial, que conserve a temperatura do alimento. Após, ele entra em uma “fila” de ordem de entrega, que pode ser uma logística de motoboy por região ou ordem do pedido. E assim, finalmente ele chega à sua casa. 

Basicamente, essa é uma estrutura de serviço de delivery bem simples. Atualmente, existem inúmeras tecnologias que ajudam a otimizar essa prestação de serviço.

É importante ressaltar que o delivery terá sucesso apenas se conseguir conciliar qualidade com agilidade. 

Franquias: um modelo para o delivery

Nos dias atuais pode-se dizer que temos “delivery de tudo”, você pode pedir uma comida, compras, bebidas, açougue, farmácia, cosméticos, além de uma série de serviços. 

Com essa expansão, muitas empresas viram como uma nova oportunidade de empreender as suas marcas neste meio. Um exemplo disso é o Mineiro Delivery, uma rede de franquias de comida delivery focada em gastronomia tipicamente mineira.  

A Top English foi mais uma empresa que inovou no serviço e em sua franquia, com a modalidade de inglês delivery. Um modelo de negócio que levava fisicamente o professor até a residência ou local de trabalho do aluno. 

Um dos benefícios em adquirir uma franquia de uma marca reconhecida são a sua visibilidade e a confiabilidade, pois já possuem uma expressão maior no mercado e para o consumidor. 

O delivery e a tecnologia

Pensando na operação de um restaurante, sabemos que em um dia com muita demanda, organizar os pedidos das mesas e ainda o delivery, pode ser um pouco desafiador. Afinal, todo cliente quer receber o seu pedido com o menor tempo possível e a mesma qualidade.

É nesse momento que a tecnologia torna-se uma grande aliada! 

Hoje, existem aplicativos que vão desde o gerenciamento do pedido até a entrega final. Ainda há possibilidades de terceirizar alguns serviços, como por exemplo, o uso do Ifood para divulgar o seu estabelecimento e aumentar as vendas. 

Um ponto importante e que poucas pessoas sabem, a gestão de entregas pode consumir uma fatia grande do orçamento. A parte da entrega que é conhecida na logística como last mile (última milha), pode chegar até 53% do custo total do envio do produto

Por isso, existem softwares que ajudam a planejar rotas e gerir toda a gestão de entregas, com mais agilidade e reduzindo os custos operacionais. 

A Vuupt é uma empresa especialista em gestão de entregas e com diversos clientes do segmento de delivery, nós podemos ajudar a melhorar a sua operação. Clique aqui e fale agora com um dos nossos especialistas. 

 

Como a pandemia mudou os hábitos de consumo

habitos de consumo

A pandemia do Covid-19 alterou os hábitos de consumo de toda população mundial, mas o que inicialmente se tratava apenas de uma fase de isolamento social, alguns comportamentos vieram para ficar.

Uma pesquisa realizada pelo Mastercard em parceria com a Americas Market Intelligence (AMI), realizou um estudo no final de 2020 com 13 países da América Latina e do Caribe, entre eles estão:

  • Argentina
  • Brasil
  • Chile
  • Costa Rica
  • Colômbia
  • República Dominicana 
  • Equador
  • Guatemala
  • México 
  • Panamá
  • Peru
  • Porto Rico 
  • Jamaica 

A principal finalidade da pesquisa era analisar a mudança dos hábitos de consumo e o novo estilo de vida dos consumidores causados pela pandemia do Coronavírus. 

Com a redução das atividades presenciais, uma nova rotina foi instalada na vida das pessoas: o mundo online está cada vez mais presente no dia a dia. E a notícia é que ele veio para ficar. 

Após sentirem os benefícios de comprar sem sair de casa, 36% dos entrevistados planejam realizar mais compras online do que físicas, e 27% planejam optar pelo delivery ao pedirem comida em casa. 

Dando continuidade a nova rotina, 32% afirmam que irão trabalhar em home office com mais frequência e 38% vão usar o online banking mais vezes ao realizarem transações bancárias, substituindo o deslocamento até as agências físicas. 

Com mais pessoas optando por atendimento domiciliar, pedindo delivery ou ainda fazendo mais compras online, as empresas precisam estar preparadas para prestar um serviço de qualidade e manter-se competitiva no mercado. 

E a sua empresa, está preparada para atender a esta nova demanda? Deixe nos comentários, quais são suas visões e perspectivas para o mercado pós-pandemia. 

A Vuupt é especialista em roteirização e na gestão da última milha, nós podemos te ajudar a gerenciar as suas  entregas e coletas, otimizando os recursos e diminuindo os custos operacionais. Clique aqui e fale agora com um dos nossos consultores! 

Fonte: E-commerce Brasil

Como funciona e para que serve um planejador de rotas?

planejador de rotas

Quem trabalha com gestão de entregas e coletas, sabe o quanto um planejador de rotas pode descomplicar a rotina. 

Você já deve ter se pegado em diversas situações em que possui um grande número de entregas, mas poucos veículos disponíveis e um prazo limite. 

Como fazer todas entregas com a frota reduzida e ainda dentro do prazo acordado com o cliente?

Por mais que os motoristas conheçam trajetos alternativos, os imprevistos sempre acontecem. E se o trânsito ficou engarrafado no meio do dia, como ele vai conseguir recalcular o seu percurso e ainda cumprir todas as suas tarefas?

É complicado fazer isso manualmente ou apenas com apoio de um GPS. Além de não ser uma obrigação do seu motorista. 

Um planejador de rotas vai indicar os melhores caminhos a serem percorridos, distribuir de forma inteligente suas cargas nos veículos, calcular prazo de entrega determinado pelo cliente e muitas outras funcionalidades. 

Neste post, vamos te explicar como funciona um planejador de rotas e quais os benefícios em utilizá-lo. 

Vamos lá?

O que é um planejador de rotas?

Antes de entender o que é um planejador de rotas, você precisa saber que ele também é chamado de roteirizador. 

Um roteirizador vai fazer o planejamento das rotas que sua frota vai realizar, para fazer o deslocamento de forma mais eficiente, reduzindo o tempo, a distância e os custos operacionais.

E como é feito isso?

O roteirizador é um software composto por um algoritmo que executa inúmeros cálculos matemáticos, para determinar o melhor planejamento,  levando em consideração as necessidades de cada negócio e das cargas transportadas como: 

  • Tempo de deslocamento;
  • Jornada de trabalho dos motoristas;
  • Prazo de entrega; 
  • Horário de atendimento dos clientes;
  • Capacidade dos veículos;
  • Tipo de carga;
  • E outras variáveis. 

Como pode perceber, um roteirizador vai ajudar a organizar as entregas e coletas de forma mais simples. 

Por exemplo, um veículo que tem várias viagens para ser feita e um prazo determinado de entrega, com a roteirização o gestor consegue criar uma rota ideal para cada motorista. 

O planejador de rotas consegue ainda programar demandas específicas de rotas, como zonas proibidas para caminhões ou horários específicos de tráfego. 

Quais os benefícios de um roteirizador?

Um planejador de rotas tem como finalidade deixar os processos de entregas e coletas mais ágeis, práticos, eficientes e econômicos. 

Um software é fundamental para a operação da sua empresa, com ele vai ser possível otimizar a frota e evitar atrasos nas entregas, por exemplo. 

Veja algumas vantagens ao utilizar um planejador de rotas! 

Aumente a capacidade da entrega 

Quando não se utiliza um planejador de rotas, você pode até dizer que conhece um caminho mais rápido, mas você aproveita a capacidade da sua frota corretamente? 

O que queremos chamar a sua atenção é para o seguinte: a capacidade do veículo x a carga a ser transportada, cada um possui as suas peculiaridades. 

Um exemplo, se tem um produto perecível, o mesmo não pode fazer uma rota de 4 horas em um carro comum, ele precisa de um caminhão frigorífico. Um roteirizador vai te ajudar nessa situação! 

A sua logística vai ser elaborada com as limitações da capacidade dos veículos (dimensões, peso ou cubagem) e ainda com habilidades específicas. Assim, você pode aumentar o número de entregas, diminuir a quantidade de veículos na frota e reduzir o tempo da rota, sem alteração nos custos.

Maior economia de tempo 

Com um roteirizador é viável organizar melhor o tempo e não irá perder horas no trânsito, enfrentando diversos engarrafamentos e ainda atrasando as entregas. 

O planejador de rotas ajuda na otimização do tempo, evitando atrasos ou até ociosidade dos motoristas, melhorando o aproveitamento do serviço.  

Com um software, os gestores ficam informados em tempo real sobre os trajetos, trânsitos e mudanças imprevistas de rota.  A Vuupt, por exemplo, possui um aplicativo exclusivo para que os motoristas acompanhem as rotas determinadas, insiram pausas de trabalho e ainda se comuniquem com o seu gestor. 

Maior controle da sua operação 

Saber quais são as entregas do dia pode ser até mais fácil, agora planejar diversas rotas ao mesmo tempo, se torna uma tarefa quase impossível sem um software. 

Imagine que em um dia com muito fluxo de entregas, um cliente liga querendo saber a hora aproximada que irá receber a mercadoria. 

Você consegue responder essa pergunta de forma rápida? 

Sem uma organização das suas entregas e coletas, fica bem difícil reportar esses questionamentos. Com um planejador de rotas é possível acompanhar o status de cada entrega, desde o momento que o motorista sai até retorno dele, além de conseguir parametrizar até o tempo de parada para um descarregamento.

Diminua as taxas de falha na entrega 

Devolução de pedido ou endereço inexistente, quase certo que isso já aconteceu com alguém que trabalha com entregas ou coletas. Com a roteirização, esses equívocos podem ser minimizados, diminuindo erros na operação. 

Pode parecer insignificante no primeiro momento, mas pensando em todo um processo, pequenos detalhes como: planejar rotas eficientes, acompanhar os trajetos a serem realizados no mapa, corrigir possíveis erros de cadastro e endereços, irão otimizar sua operação. 

Com essas melhorias suas taxas de falha ou reentrega serão reduzidas. E, consequentemente, contribuirão para a satisfação dos seus clientes e fornecedores. 

Afinal, tudo isso se transforma em diferenciais competitivos para sua empresa! 

Melhore o índice de satisfação dos clientes

Com um roteirizador, você terá uma transparência maior do seu processo de entregas para os clientes. Isso porque, um software permite que os clientes sejam notificados em caso de atrasos e recebam avisos sobre o status da entrega.

Entregas atrasadas resultam em alto grau de insatisfação dos clientes. E os números não mentem, uma pesquisa realizada pela Forrester & IBM, aponta que 7 em 10 consumidores provavelmente não farão outra compra com uma marca que proporciona uma experiência de entrega ruim.

O planejador de rotas vai ajudar a melhorar a satisfação e fidelizar os clientes. 

Reduza o seu custo logístico 

Não importa qual é o seu segmento de negócio ou tamanho da empresa, se possui dezenas de caminhões ou apenas algumas motos, um software de planejamento de rotas é essencial para manter as entregas eficientes. 

A roteirização permite uma personalização na criação da rota, e quais são os benefícios disso? 

Com rotas mais organizadas é possível diminuir o custo de combustível, garantindo que a frota percorra o menor trajeto. Outro ponto, é que a roteirização possibilita uma organização maior da mão de obra, se adequando a jornada de trabalho dos motoristas e diminuindo os custos com horas extras. 

Um gasto muito alto é com a manutenção da frota, se um veículo já demanda revisão normalmente, imagina ele rodando mais que o necessário. Com um plano de rotas, o carro vai ser aproveitado de uma melhor forma, seja percorrendo uma quilometragem menor ou até transportando apenas a sua capacidade real, reduzindo os desgastes e, consequentemente, a sua manutenção.

Posso planejar rotas com Waze ou Google Maps?

Um bom roteirizador leva em consideração diversos fatores para resolver o problema e chegar ao resultado esperado. 

Sabemos que os aplicativos citados são apenas algumas das opções de navegação via GPS. Eles resolvem rotas simples entre um ponto e outro, pois são focados na navegação e não na otimização da rota até um ponto final. 

Em resumo, nenhum deles realiza uma roteirização levando em consideração as características dos seus clientes ou das suas entregas.

Vamos a mais uma reflexão…E se o trajeto que sua empresa precisa fazer não for apenas de um ponto ao outro, mas exigir certas complexidades?

É neste momento que o planejador de rotas entra em ação! E mostra o porquê, ele não deve ser substituído por uma simples GPS. 

Um roteirizador é desenvolvido para resolver um tipo de problema na área da otimização combinatória conhecido como VRP, do inglês Vehicle Routing Problem, traduzindo o termo “Problema de Roteamento de Veículos” , onde o objetivo final de tais cálculos é obter uma rota otimizada. 

Assim, um roteirizador planeja o melhor percurso de deslocamento, traçando o caminho mais eficiente para realização de todas as tarefas dentro dos prazos estipulados, buscando sempre economia, por meio da redução de custos e aproveitamento de recursos.

Planejador de rotas grátis funciona?

Se fizer uma pesquisa rápida na internet, vai encontrar algumas ofertas de planejador rotas gratuitos. Mas, você já sabe: não existe nada de graça, que não tenha um custo.

Na verdade, vai acabar encontrando versões de testes grátis que na maioria das vezes, entregam soluções bastante limitadas. 

De graça, mas nem tanto…

A maioria dessas ofertas de roteirizador grátis começa liberando pouquíssimos recursos. As ferramentas limitam diversas funcionalidades, por exemplo, como o número de usuários ou veículos para o planejamento. O que nem sempre é interessante para a maior parte das empresas que buscam a solução. 

Outro ponto importante, cuidado com a procedência da roteirização grátis. Nem sempre há garantias da segurança da informação ou suporte adequado. 

Imagina subir dados de clientes na plataforma ou baixar arquivos que contenham alguma vulnerabilidade e colocar o seu negócio em risco. Ou ainda, não poder contar com o fornecedor e por algum erro na plataforma perder todo o seu planejamento das rotas. 

Por isso, tenha muito cuidado ao optar por usar sempre um roteirizador gratuito.

Por que escolher o planejador de rotas da Vuupt?

A Vuupt realiza a gestão de entregas, coletas e prestação de serviços focada na roteirização e rastreio da última milha. 

Com a nossa plataforma é possível planejar rotas, executar e analisar todo o processo de entregas, coletas ou prestação de serviços em tempo real. E o melhor, com alto nível de tecnologia, praticidade e baixo custo. 

Um dos maiores benefícios de automatizar a sua roteirização é a garantia de dados atualizados e confiáveis, que fornecem informações importantes para a tomada de decisão estratégica. Desta maneira, todos beneficiam com o processo – quem programa as rotas, motoristas e os gestores – toda equipe ganha em produtividade e o retorno sobre o investimento é muito maior.

Com o nosso software a sua disposição, fica mais fácil criar suas rotas de entregas e coletas, acompanhe todo sua operação e garanta a satisfação dos seus fornecedores e clientes. Além de criar parâmetros que adequam a sua estratégia de negócio, você pode fazer a gestão de tudo, com indicadores e um dashboard completo.

Quer saber mais? Clique aqui e fale agora com um dos nossos especialistas. 

Drone: o novo futuro da logística de última milha?

ultima milha

Entregas mais rápidas e com custo menor, esse é quase um mantra das empresas que realizam entrega de produtos. E não é difícil entender o motivo, a última milha – também conhecida como last mile – é uma das etapas mais caras da logística, representando pelo menos 24% dos custos operacionais.  

O custo de entrega pode ser ainda maior no e-commerce. Um estudo divulgado pelo Instituto Ilos, aponta que o last mile pode representar até 45% do orçamento. O que se torna um grande desafio para os marketplaces. 

Com o crescimento do comércio eletrônico, os varejistas que operam no meio digital estão buscando tecnologias para otimizarem a sua última milha. Prova disso é o uso de computação em nuvem, armários inteligentes, bicicletas elétricas, robôs e várias outras tendências para o setor

O mercado tem investido para que essas mudanças aconteçam. Um relatório da plataforma Distrito, que reúne dados de startups, mostra que foram investidos US$1,3 bilhão em logtechs nos últimos 10 anos.

O drone seria uma nova alternativa para a última milha?

As entregas realizadas por drones prometem diminuir os prazos e reduzir os custos com transporte, porém existem algumas objeções para colocar em prática essa usabilidade. 

Dentre os desafios estão algumas adaptações para esse modelo como: restrição de tamanho e peso do produto,  tempo de autonomia no ar e a adaptação para acomodar as cargas de forma segura. Além disso, tudo precisa estar seguindo a legislação para essa modalidade. 

Alguns testes já começaram a ser realizados no Brasil, um deles foi no segmento de delivery. Segundo Felipe Martins, diretor de inovação do IFood, em uma entrevista para o Valor Econômico, a empresa começou a operar em dezembro com drones, ainda em caráter experimental, para realizar uma etapa intermediária da entrega de pedidos. 

Outro estudo mais recente do Illos mostra que apenas 15% das empresas já utilizam drone em alguma etapa de suas operações e pelo menos 36%, esperam aumentar ou iniciar nos próximos anos. Foram ouvidas 73 companhias de maior faturamento no país e de setores distintos. 

De acordo com Maria Fernanda Hijar, sócia do Ilos, nenhuma empresa conseguiu escalar o uso do drone, principalmente, quando se relaciona ao consumidor final. Isso devido ao custo elevado e restrições de regulamentações. 

A pouca representatividade de drones não significa a falta de inovação no setor. Segundo uma pesquisa do Ilos, 92% das empresas já usam algum serviço de computação em nuvem, 58% já fazem uso de inteligência artificial, 51% usam robôs em seus armazéns e 32% algum tipo de veículo autônomo. 

Qual é sua aposta para o uso de Drone ou outras tecnologias? Deixe aqui nos comentários.

Fonte: Valor Econômico

 

Last mile: o que é e os impactos na operação logística

last mile

Last mile, ou última milha, é um conceito que refere-se à etapa final da entrega do produto, partindo de um centro de distribuição até o destinatário final. 

A expansão do comércio de vendas online, a alta demanda por delivery e o crescimento de serviços prestados em casa, fizeram com que a logística precisasse se reinventar para atender o mercado com alta qualidade.

Nessa hora que o last mile entra em jogo, muitos não conhecem o significado dessa etapa, mas é o momento mais esperado pelos clientes e impacta diretamente na avaliação da empresa. 

E os números não mentem, uma pesquisa realizada pela Forrester & IBM, aponta que 7 em 10 consumidores provavelmente não farão outra compra com uma marca que proporciona uma experiência de entrega ruim.

Para ter uma entrega eficiente é preciso criar uma operação estruturada, mas fazer isso acontecer para um volume cada vez maior de encomendas, em um tempo e custo que precisam ser cada vez menores, pode ser desafiador. 

Os grandes players do mercado já entenderam a importância da logística last mile. E por isso, estão crescendo e dominando o mercado. 

Não precisa ser nenhum especialista em logística para ver a disputa dos marketplaces como Mercado Livre, Amazon, Magalu e B2W, na busca de reduzir tempo de entrega e seus custos logísticos. 

A seguir, vamos explicar melhor sobre a última milha e como ela pode impactar nos resultados da sua empresa. 

O que é last mile?

Antes de tudo, vamos entender a etimologia da palavra. Em tradução simples última (last) milha (mile), pensando como unidade de medida, uma milha equivale 1.609,344 metros, a logística last mile deveria ser a última etapa da logística, ou seja, os 1,6 km finais de uma entrega.

Essa denominação da última etapa pode ser vista em várias situações, como a última volta da corrida de Fórmula 1 ou os metros finais em uma maratona, o que configura a conclusão de um processo. 

Porém na logística, este conceito ultrapassou a etimologia e se tornou uma estratégia importante. Vamos explicar o porquê! 

O last mile é a etapa final do transporte da mercadoria, considerando quando ela sai do centro de distribuição para o destino final. 

Essa é considerada uma das etapas mais caras da logística, podendo comprometer uma grande fatia do orçamento. Segundo dados da Business Insider, o last mile sozinho corresponde a 53% do custo total de envio do produto. 

Por isso, a grande importância em investir em tecnologias para otimizar a última milha, buscando reduzir gastos e melhorar a prestação de serviços para o cliente. 

Vale citar que antes do last mile temos outras terminologias utilizadas na cadeia logística, o first mile (primeira milha) e o middle mile (milha intermediária). O first mile geralmente é o processo em que o pedido passa da empresa para a transportadora. Já o middle mile, leva em conta o trajeto entre a primeira e última milha, envolvendo troca de transportes e até mesmo transição entre regiões.

Quais os impactos do last mile na operação logística?

O last mile é a etapa mais passível a erros, mas há diversos impactos positivos nas vendas. Uma delas é a possibilidade de mostrar a qualidade na prestação de serviço da empresa.

Sem dúvidas, esse é o momento em que os clientes ficam ansiosos com a espera da sua encomenda. O que torna uma oportunidade perfeita para proporcionar a eles uma boa experiência com sua marca, entregando a mercadoria em bom estado, dentro do prazo estipulado e atualizá-lo sobre o processo da entrega. 

Aproveite essa etapa para obter uma boa avaliação dos consumidores e elevar sua empresa a um patamar competitivo no mercado. 

Nem tudo tem um lado positivo, como dissemos, a última milha representa um alto custo para a empresa, somadas ainda a competitividade do setor. Por isso, o planejamento e uso de tecnologias é fundamental para não reduzir a margem de lucros e evitar prejuízos. 

Entre os problemas recorrentes, os mais comuns são os clientes ausentes e o mau planejamento das rotas. 

Clientes ausentes aumentam o custo do frete devido às novas tentativas de entrega. E, também, em relação ao seguro da mercadoria até o seu destino final. Para resolver esse problema, a comunicação entre entregador e o consumidor é preciosa para melhorar as orientações e ser mais assertivo. 

Em contrapartida, a falta de uma roteirização e gestão de entregas é um problema grave no last mile. Uma rota realizada de forma incorreta pode ter um alto gasto de combustível, aumento da manutenção da frota e ainda problemas em cumprir os prazos de entrega. 

Lembrando que para conquistar a efetividade do seu processo logístico, as outras etapas não devem ser negligenciadas. Toda cadeia deve se manter sob controle desde o gerenciamento do estoque até um simples procedimento operacional. 

Como otimizar a sua última milha?

Tecnologia e inovação são palavras chaves para o sucesso do negócio, as entregas necessitam ser ágeis e eficientes para garantir a satisfação do cliente e reduzir os custos da empresa. 

Para ter uma operação mais rápida, o mercado vem trazendo inovações que atendem diferentes particularidades de cada segmento. E uma delas é acompanhar em real time cada etapa da entrega e ter um maior controle da logística como um todo. 

Muitas empresas optam apenas por ferramentas de roteirização, não que seja de menor importância no processo de distribuição, mas uma gestão de entregas completa vai além de criar rotas eficientes. 

Invista em um software

Como mencionamos, planejar rotas é fundamental para o sucesso das entregas. Um roteirizador além de otimizar as rotas, ele vai calcular o melhor caminho a percorrer com diversas variáveis como: tipo de carga, capacidade do veículo, horário da entrega, prioridade, dentre outras. 

Com certeza, todas essas particularidades de uma roteirização vão contribuir para uma maior otimização do tempo e aumento da produtividade. Além da redução de custos como os gastos com combustível. 

Como foi dito, o ideal é que você tenha um software que faça a sua gestão de entregas por completo. Somente com ele vai ser possível fazer o acompanhamento em tempo real da operação, localização exata da frota, controle da jornada do motorista, envio de mensagens sobre o status de entrega para o cliente, gerar relatórios sobre a operação e muitas outras funcionalidades! 

A Vuupt é especialista em gestão de entregas e coletas da última milha, o nosso software é completo e vai ajudar a revolucionar a sua operação logística! Clique aqui e solicite um teste grátis agora! 

Gostou do texto? Deixe o seu comentário!